4 de mai de 2017

Nosso trânsito é uma guerra velada

Em 2015 a seguradora responsável pelo DPVAT pagou 42 mil indenizações por morte e 515 mil por invalidez permanente. Nosso trânsito é mortífero como uma guerra, onera o sistema de saúde e gera um pesado custo social. Infelizmente temos dado pouca atenção a esse fato e a redução desses números segue lentamente.

O Piauí tem a maior taxa de óbito por 100 mil habitantes do Nordeste e uma das maiores do Brasil. Nosso país fica atrás de México, Argentina e até da Rússia, mundialmente conhecida pelo tráfego violento. É algo preocupante, principalmente se for considerado a educação do povo, a qualidade das vias e dos automóveis.

A maior vítima é o motociclista, 76% das indenizações do DPVAT são a eles destinadas. Nosso estado pode reverter essa situação. O governo pode e deve fazer sua parte de cuidar e fiscalizar, mas quem deve realmente promover a segurança é o motorista, é o motociclista. É inaceitável que continuemos perdendo vidas, perdendo profissionais que deixam o mercado de trabalho, perdendo pais, crianças e adolescentes.

O projeto Motociclista do Bem surgiu inspirado em programas europeus como o Década de Ações pela Segurança Viária da Fundação FIA, Visão Zero do governo sueco e em recomendações da Organização Mundial de Saúde. É voltado aos motociclistas, mas através de sua campanha De Bem com o Trânsito atinge também pedestres, ciclistas e motoristas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário