21 de nov de 2016

Nosso trânsito é uma tragédia

Tragédias deixam as pessoas arrasadas. Seja em Minas Gerais, França ou qualquer outro lugar, mexem com o sentimento e fazem pensar no valor da vida. Nosso trânsito também é uma tragédia, mas parece que já não toca as pessoas — exceto vítimas e familiares.

O trânsito brasileiro matou quase 110 pessoas por dia em 2011¹. Foi quase um atentado como o de Paris em cada dia daquele ano! É provável que nem mesmo o Estado Islâmico — responsável pelos ataques aos parisienses — tenha matado tanto. E ninguém é mais culpado por isso que os próprios pedestres, ciclistas, motociclistas e motoristas que desrespeitam o Código de Trânsito e a própria vida.

Impera a desordem em praticamente todo o país, principalmente na região Nordeste, onde milhares de pessoas conduzem veículos sem ter sido preparada isso. Esperar que prefeitos, vereadores e autarquias ajam para reduzir o número de mortes por acidentes de trânsito é ilusão. Políticos são populistas e nada enxergam além do próximo mandato; entidades públicas são a representação máxima da ineficiência.

Cada acidente tem um custo social gigantesco que é pago por cada cidadão, pelas vítimas e também pelas famílias das vítimas. Talvez por serem tão comuns já não comovem como as tragédias recentes. Mariana e Paris merecem nosso apoio. O trânsito merece muito mais.

¹Dados do Mapa da Violência